top of page
  • Foto do escritorFelipe Schadt

Não seja cientista no Brasil!


Imagem: (Reprodução/Internet)

Quando você ouvir alguma criança responder a pergunta "o que você vai ser quando crescer?" e ela disser "cientista". Pare, olhe bem para o fundo dos olhos dela e diga: NÃO!

Ela provavelmente vai chorar e se aborrecer com você, mas aí você explica pra ela que ser cientista no Brasil não é a melhor escolha que alguém pode fazer. Isso porque, em 2019, quase 200 mil pesquisadores (pós-graduandos e professores) poderão ter suas bolsas canceladas (1).

Faça essa criança entender que aqui no Brasil, pesquisa e docência se fazem praticamente por amor e, muitas vezes, com dinheiro do próprio bolso.

Explica pra ela que o governo do Michel Temer aprovou a PEC 241, que congela os gastos públicos - sobretudo com educação - por 20 anos (2) e reduziu os investimentos na educação a partir de 2018 (3), afetando diretamente no corte de mais de meio bilhão de reais para bolsas de estudo.


Conta para essa criança que um pesquisador no nível de mestrado e doutorado ganham no Brasil R$1.500 e R$2.200 respectivamente (4) e que esse valor fosse ajustado pela inflação - coisa que não é -, um mestrando bolsista, por exemplo, ganharia R$3.276,74 (5).


Faça essa criança entender que aqui no Brasil, pesquisa e docência se fazem praticamente por amor e, muitas vezes, com dinheiro do próprio bolso.


Essa criança não será uma cientista. Nem ela e nem tantas outras que mal compreendem ainda a importância da pesquisa para o desenvolvimento de uma sociedade. Não é só o bolsista que perde com isso. É o país.


Então, ao invés de destruir sonhos de jovens por aí negando-lhe o direito de ser cientista, que tal mudar as coisas?


Primeiro entre nesse link e participe da campanha que quer reunir 5 mil assinaturas para forçar o governo a rever o orçamento: https://goo.gl/MRX1fq


Depois entre nesse link e descubra se seu deputado votou contra ou a favor da PEC 241, podendo cobrá-lo sobre isso. Lembre-se que é ano de eleição e os políticos costumam ser mais "receptíveis" nesse período: https://goo.gl/jzFsyX


Se isso não funcionar de imediato, olhe para o futuro. Como seu candidato a presidência pensa sobre a PEC 241. Para te ajudar, fiz uma pesquisa (e infelizmente a exemplo de muitos pesquisadores, sem bolsa) sobre isso. Colocarei uma lista dos presidenciáveis conforme ordem de intenção de voto de pesquisa realizada no dia 28 de junho pelo Ibope (6).


- Jair Bolsonaro: A FAVOR - Fez vídeo falando contra a PEC 241, mas votou a favor dela no dia seguinte na Câmara. (7)


- Marina Silva: A FAVOR, MAS... - Disse que é a favor que aumento do gasto público deve corresponder apenas à metade do crescimento do PIB, considerando, claro, a correção da inflação. Ou seja, é a favor da PEC, mas não congelaria os gastos. (8)


- Ciro Gomes: CONTRA - Chegou a afirmar que PEC 241 é uma estupidez e que é imperativo revogá-la (9)


- Geraldo Alckmin: CONTRA - Disse que a PEC vai acabar com investimentos públicos (10)


- Alvaro Dias: A FAVOR - Segundo ele a PEC é a salvação do país. (11)


- Fernando Collor de Melo - A FAVOR - Votou a favor da PEC no primeiro turno e faltou na segunda votação. (12)


- Guilherme Boulos - CONTRA - "O Brasil volta à senzala", disse ao se referir a PEC 241. (13)


- Henrique Meirelles - A FAVOR - Como Ministro da Fazenda, foi um dos maiores incentivadores da medida. (14)


- Levy Fidelix - CONTRA - Criticou a medida, pois ela não limita o teto de gastos com os juros dos bancos. (15)


- Manuela D'Ávila - CONTRA - Postou um vídeo que critica a PEC 241 em suas redes sociais. (16)


- João Amoêdo - A FAVOR - Elogiou a medida e disse que deve ser mantida. (17)

Viu como pesquisa é importante? Agora você pode escolher se a criança continuará chorando ou se poderá ser cientista no futuro.


Conhecimento é Conquista -FS


Fontes:

34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page