• Felipe Schadt

A receita de Demócrito


Demócrito, conhecido como o filósofo que ri (Imagem: Internet)

> Você provavelmente ouviu pouco sobre Demócrito de Abdera, um pensador contemporâneo de Platão que concorria de forma direta com o discípulo de Sócrates na batalha de narrativas sobre como viver a vida. Enquanto Platão dizia de um lado que tudo era dividido em dois (conhecimento, corpo e mundo), ou seja, um dualista, Demócrito preferia acreditar que tudo que existe é formado por átomos que se encontram e se separam no vazio, fazendo dele um atomista.


Meu ímpeto de professor me obriga a gastar dois parágrafos explicando isso melhor. Platão dividiu o corpo em duas partes: corpo e alma. O primeiro é responsável pelos desejos e apetites, enquanto o segundo representa a razão. Enquanto o corpo quer consumir o pudim na geladeira, a alma reflete sobre os perigos de ingerir essa volumosa quantidade de açúcar. Aí vai de você escolher quem vai tomar as rédeas da sua vida: o seu corpo desejante ou sua alma racional.


Já Demócrito pensava de uma outra maneira. Para ele, o mesmo corpo que deseja é o mesmo corpo que pensa, logo, não existe divisão. Se a alma existe ela também é feita de átomos, portanto, também é matéria, assim como o corpo. Essa lógica nos leva a dois caminhos: primeiro, se tudo que há são átomos, quando nosso corpo morre, significa que os átomos que o constituem apenas se desprenderam para formar uma outra coisa (basta pensar em uma casca de banana que é jogada na terra e que, em poucas semanas, se transforma em adubo que vai alimentar alguma planta - fazendo da casca de banana parte da própria planta); segundo, não existe vida além dessa, pois se tudo que existe são átomos no vazio, os átomos que aqui estão aqui permanecem e a ideia de um céu para onde iria a alma, cai por terra.


Imagine você ter a certeza de que essa é a única chance que temos para viver? A vida talvez ganhasse outro sabor? Bom... Era o que Demócrito pensava e por isso levou a vida que levou. Uma vida baseada em três prazeres.


Primeiro prazer: "Evite preocupações". Parece óbvio e bem familiar para quem assistiu O Rei Leão. Até parece impossível para alguns evitar preocupações em um tempo como o nosso. Mas o que Demócrito quis dizer é que devemos buscar uma vida mais simplificada e menos sofisticada. Quanto mais complexa for a causa de tua alegria, mais complexa será a busca por ela, gerando assim duas preocupações: a da busca pela alegria e a da manutenção da mesma. Se o que te faz feliz é algo simples de se arranjar, você evita essas preocupações. Mas hoje, nossa busca por prazeres complexos se tornou, penso eu, a tônica da nossa vida.


Segundo prazer: "Ria de si mesmo". Demócrito era conhecido como o "Filósofo que Ri". Ria da maioria das coisas, já que se alegrava com o que havia de mais simples e abundante no mundo. Ria inclusive de si mesmo. E só conseguia fazer isso por entender que não era saudável se levar a sério. E ao não se levar a sério, o filósofo de Abdera sempre fugia dos holofotes e buscava ter a vida mais discreta possível. Totalmente na contramão do que vivemos hoje em dia, com a alta exposição que damos a nós mesmos pela necessidade que temos de nos levarmos a sério demais.


Terceiro prazer: "Não negue a vida". Por ser atomista, Demócrito acreditava que essa é a única oportunidade que temos de viver, então, porque desperdiça-la não fazendo aquilo que queremos fazer por medo de não ir para um céu que na verdade não existe? Ele vivia o que a vida o oferecia pois só a vida era, para ele, a única certeza da nossa existência. Já parou para pensar quantas oportunidades você deixou de lado por causa de valores que não são os seus?


No fim das contas, o que Demócrito quis dizer com tudo isso foi que a vida boa é aquela que se vive e não aquela que achamos que queremos viver.


E antes de encerrar o texto, uma advertência importante: Longe de mim querer te dar uma receita para viver. Não. Acredito que a vida não é como um bolo. Cada vida é única, inédita e irrepetível. Se você quiser tentar repetir a receita de Demócrito de como viver, fique a vontade, só lembre-se, não há nenhuma garantia de que funcione para você.


Conhecimento é conquista! -FS


[Ouça em formato Podcast]

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo